Confissões de um coração rebelde…

Posts marcados ‘Aceitação’

O amor nos olhos de um anjo…

Avoada. Era esse o adjetivo pelo qual Lucy era conhecida por todos em seu vilarejo.

Sorriso largo, no alto dos seus 22 anos, era a mais nova entre 4 irmãos, e também a única mulher. De pele bem branca, cabelos claros como o sol, olhos verdes e um tanto quanto desengonçada. Era uma linda mulher, mas o que mais chamava a atenção eram seus olhos… Nunca pensei que conhece-la mudaria minha vida…

 

Tinha sempre um ar melancólico, um olhar distante, mas profundo e adorava se deitar sobre a grama de uma campina que havia perto de sua casa, e assim ficava horas a fio, só observando o movimento dos pássaros, das nuvens e das folhas que o vento levava.

Vivia em um mundo praticamente seu. Não tinha amigos, gostava muito de ler, por isso quase não saia de casa… Devorava os livros que emprestava da biblioteca local. Seus favoritos eram aqueles que contavam histórias sobre os Deuses, os Anjos e os Mistérios entre o Céu e a Terra. Lucy tinha uma ânsia enorme em aprender, especialmente sobre isso…

 

Eu sempre a observava ao longe, afinal fui designada para tanto, e no fundo, eu também gostava muito dessa menina, de seus sonhos, de sua curiosidade… Quando me avisaram que ela seria minha responsabilidade, a princípio fiquei um pouco apreensiva, já que era a primeira vez que estava zelando por alguém, até então meu “trabalho” era mais burocrático. Tive inúmeras horas de estudos, treinamentos, workshops… Tudo para me preparar para isso. Cuidar de Lucy, era minha missão.

Logo de cara pude perceber que essa não seria uma missão complicada, visto que Lucy era uma menina doce, amável, cheia de vida e de sonhos… Não tinha tempo a perder com bobagens e nem passou por aquela fase de rebeldia que a maior parte dos jovens tem uma vez na vida, muito pelo contrário, Lucy era e sempre foi uma pessoa serena, focada e responsável.

 

Só uma coisa me preocupava. Podia sentir que seu coração ficava cada dia mais inquieto… Sempre que ela ia a biblioteca e lia um novo livro sobre os mistérios entre a terra e o céu, mais essa angustia aumentava. Senti que ela estava buscando por respostas, alias, estava desesperada. E nada. Nenhum daqueles inúmeros livros que já havia lido tinham sequer chegado perto de responder seus questionamentos mais profundos. Cada um falava sobre o mesmo tema, mas com abordagem diferente, e Lucy nunca sentiu que as pessoas que haviam escrito aqueles textos sabiam realmente do que falavam…

Deixou a biblioteca de lado, e agora passava cada vez mais tempo deitada na campina, olhando fixamente para as nuvens…

 

Toda aquela angustia que via em seu olhar me deixava muito chateada… Puxa vida, logo na minha primeira missão, a pessoa que me havia sido confiada estava daquele jeito. Eu comecei a pensar em como poderia ajuda-la de maneira mais eficiente, e francamente, ficar de expectadora já estava me deixando inquieta também.

Deixe me dizer de antemão que minhas intenções foram as mais nobres possíveis. Tudo bem que eu tive que desrespeitar uma regra aqui, outra ali, mas regras existem para ser quebradas, não é mesmo?

 

Lá no fundo, eu sabia exatamente o que deixava Lucy daquele jeito. Sabia qual era a pergunta que lhe tirava o sono e pela qual ela buscava com tanto afinco pela resposta…

Enchi-me de coragem, e num belo dia, enquanto ela deitava sobre a grama da campina, decidi me aproximar e me apresentar.

Deitei-me ao seu lado e disse: – “Bom dia Lucy, muito prazer, me chamo Ariel, sou seu anjo da guarda…”

Antes de terminar a sentença, olhei pra Lucy e vi que estava ainda mais branca que de costume (vai ver é por isso que não podemos ficar aparecendo pra todo mundo a toda hora né?) e tratei logo de acalma-la. Disse-lhe que estava ali pois queria ajuda-la a encontrar as respostas que tanto procurava.

Ela começou a me olhar nos olhos e imediatamente começou a chorar… Eu a abracei e ela me contou que muitas vezes havia sonhado com aquele momento, mas que já não acreditava mais… Toda sua busca e toda confusão que encontrou em suas leituras, tiveram efeito inverso do que ela queria. Queria algo para fortalecer sua fé, mas acabou por quase perde-la.

 

Foi então que ela me disse: – “Ariel, como faço para que Deus me ame?”

 

Não esperava por aquela pergunta. Deus a amava com certeza, mas ela não sentia… Por que?

Por um momento, fechei meus olhos, e pude sentir que meu coração batia mais forte. Então percebi exatamente o que deveria fazer.

Pedi que ela fizesse o mesmo e que ouvisse as batidas de seu coração.

Ela ficou ali, sentada junto a mim, e com os olhos fechados ficamos ali ouvindo nossos corações batendo.

Pedi então que ela se esquecesse de tudo aquilo que havia lido até então. Nada daquilo a levaria até Deus, pois Deus estava nela, ela era um pedaço de Deus, assim como todos nós somos.

Ao ouvir seu coração batendo, ela conseguiu ouvir pela primeira vez na vida a resposta que sempre buscou. Sempre esteve em seu coração, mas ela nunca havia parado para ouvi-lo, nem prestava atenção a ele…

 

Seu olhar se encheu de glória! Seus lindos olhos verdes brilhavam mais do que nunca. Estava ali para quem quisesse ver, a magia da criação, a benção da vida… Toda divindade que havia nela havia despertado, estava ali em seu olhar…

 

Disse-lhe que somos todos provas vivas do amor de Deus pai e mãe, da energia que nos criou, pois somos parte dela. Todos nós carregamos um pedaço de Deus em nós.

Muitos passam anos buscando por amor e aceitação, mas não buscam dentro do único lugar onde podem realmente encontra-lo…

 

Senti em Lucy pela primeira vez desde o primeiro dia que a vi que estava realmente feliz. Feliz por ter se encontrado e encontrado todo o amor que desejava em seu coração. Ela se encontrou com Deus, e acreditou pela primeira naquilo que sentia.

 

Despedi-me e voltei para meu antigo posto, mas algo em mim também havia mudado.

 

Essa experiência me ajudou muito, eu também sinto que evolui. Aprendi que não importa o quanto somos diferentes, as coisas em que acreditamos ou a maneira que agimos, no final das contas, o que todos querem é ser amados. Sejam vocês humanos, ou anjos como eu…

 

Pois então, o amor está ai para todos nós, basta procurar no lugar certo…

Por RebelHeartBR

Nuvem de tags