Confissões de um coração rebelde…

Posts marcados ‘Aprender’

De quem é a culpa mesmo?

“Já tive vário(a)s namorado(a)s, com nenhum(uma) fui feliz…
Tive diversos empregos, nenhum deles me valorizou….
Já frequentei inúmeras religiões, em nenhuma delas encontrei respostas…”

Nunca se sentiu feliz, nunca se sentiu valorizado(a), nunca encontrou respostas… 
O problema não são os(as) ex namorados(as), os antigos empregos e as religiões que buscou. O problema é que você ainda não aprendeu que a responsabilidade pelas coisas em sua vida são SUAS e não culpa de ninguém. 

Quem vive frustrado, infeliz e gosta de culpar o outro, o trabalho, a religião ou o universo, não tem amor próprio, tem baixa auto estima e não assume as rédias e nem a responsabilidade pela própria vida. Quando se aprende a fazer isso, toda vez que algo dá errado, tentamos começar a mudança primeiramente pelas nossas atitudes ao invés de culpar covardemente os demais por nossas mazelas… E ao assumirmos essa responsabilidade, evoluímos, crescemos, aprendemos e mudamos quando preciso.

Pais, façam um favor aos seus filhos e a sociedade. Ensinem-lhes a ser responsáveis, a ter caráter, humanidade e fé. Não passem a mão na cabeça deles quando errarem como se nada tivesse acontecido, e muito menos corrijam os erros deles, mas ao invés disso, mostrem onde erraram e os orientem para que aprendam a corrigir.

Nossa sociedade hoje está desorientada como está por que temos uma geração de pessoas que cresceu sem saber o que é ser responsável e independente. Uma geração que não sabe nada sobre ação e consequência. Uma geração que não sabe pensar…

Ainda dá tempo de mudar, devemos começar por nós mesmos. Pois ao melhorarmos nossas atitudes, nos tornamos o reforço positivo, hoje inexistente em nossa sociedade.

Por Ka

Imagem

Anúncios

Viver a Páscoa

Imagem

Há muitos anos atrás, um homem mudaria o mundo com suas atitudes. Seu nome era Jesus.

Jesus veio a esse mundo para nos ensinar sobre o verdadeiro amor… Durante toda sua vida ele se doou. Ajudando os mais necessitados, levando palavras de conforto e semeando a paz por onde passava.

Sua mensagem sempre foi muito clara: Ele praticava e estava aqui para nos ensinar sobre o AMOR e suas vertentes… Ele andou entre nós para que seguíssemos seu exemplo de doação, caridade e bondade.

Estamos entrando em uma época de tribulações mundiais. Muitos falsos profetas e salvadores já caminham entre nós disseminando ideias e conceitos que tem apenas um objetivo: Transformar-nos em pessoas individualistas, superficiais, ingratas e egoístas.

O mal sabe que um mundo de pessoas unidas em torno do bem, da paz e do amor maior jamais permitiria que ele se estabelecesse e dominasse as nações e o coração da humanidade, por isso vem há muito tempo colocando na mente e no coração daqueles de pouca fé os ideais do egoísmo, tornando nosso mundo cada vez mais frio, impessoal e fazendo com que as pessoas prezem mais pela aparência, pelo materialismo e que dessa forma fiquem alheias aos eventos devastadores pelos quais nosso mundo vem atravessando, com o aumento da fome, das guerras, da intolerância e do ódio.

Os disseminadores desse mal farão de tudo para nos afastar do caminho do bem. São pessoas de aparência confiável, usam palavras amáveis e tentarão nos convencer de sua visão prometendo uma vida fácil, livre de responsabilidades e consequências.

A maior diferença entre um verdadeiro sábio e um disseminador do mal é que o sábio, assim como Jesus, ao nos ensinar e aconselhar deixa bem claro que nós somos responsáveis por aquilo que fazemos e pelas consequências de nossas atitudes, enquanto os disseminadores do mal para massagear nosso ego e nos tornar pessoas egoístas e individualistas colocam a culpa e a responsabilidade por tudo que ocorre em nossas vidas nas costas de outras pessoas ou situações. Ao massagear o nosso ego nos tirando essa responsabilidade ele nos desvia de todos os ensinamentos verdadeiros do amor e do bem maior. O mal ganha seu coração falando o que você quer ouvir.

O mal não gosta de ser desafiado, não suporta nossas orações e nossos atos de amor, e vai tentar de todas as maneiras que puder, nos afastar desse caminho, seja através de falsas promessas de uma vida fácil ou nos afastando de qualquer pessoa que possa atrapalhar seus planos de dominação da humanidade.

Em momentos como os que estamos atravessando, é mais importante do que nunca que o amor, a fé, a bondade e a caridade sejam as constantes em nossa vida. Jesus deu a nós esse exemplo. Ele nunca foi egoísta, nunca pensou só em si quando tomava uma decisão ou atitude, nunca deu as costas a um amigo ou a uma pessoa necessitada… Ele fez o sacrifício maior, Deus nosso pai lhe pediu se ele estaria disposto a dar sua vida para nos salvar, e ele o fez… Jesus morreu na cruz por todos nós. Para que eu e você não precisássemos sofrer. Ele escolheu o caminho do bem, do amor e da caridade.

Ao fazer isso, Jesus se tornou um dos maiores exemplos do poder maravilhoso do amor e da luz. Seu exemplo é enaltecido até os dias de hoje por todos aqueles que compreendem verdadeiramente o valor e a importância de sua atitude ao dar a sua vida pela nossa.

Independente de sua religião o crença, uma coisa é inegável: Ele fez isso por você. Ele fez isso por amar você e ele faria tudo de novo se fosse preciso.

Sempre admirei muito Jesus, pois seu coração e o seu amor guiaram seus passos e fizeram dele o homem mais bondoso de todos os tempos.

Que nessa Páscoa nós possamos refletir sobre o exemplo de Jesus. Sobre seu amor e sua bondade para com o próximo, sobre suas lições sobre o amor, a compaixão e a caridade.

Ele nos ensinou o caminho, nos mostrou que juntos em comunhão com o Amor e com o Bem somos mais fortes e só assim venceremos o mal que se alastra pelo mundo.

Sejamos fortes então, não nos deixemos cair na tentação do caminho do mal, da vaidade, das aparências, da superficialidade, da individualidade e do egoísmo. Trilhar esse caminho é permitir que o mal se estabeleça e vença a luz e o bem. Não podemos permitir isso.

Feliz Páscoa a todos vocês meus amigos. Que todos nós possamos ser espelhos verdadeiros de Jesus, ajudar aos nossos irmãos, sermos pessoas boas de coração, gratas, verdadeiras e caridosas. Que possamos dar valor as pessoas e coisas boas que Deus coloca em nosso caminho e não permitir jamais que a voz do mal nos afaste delas. Que sejamos verdadeiramente gratos aqueles que nos auxiliam na caminhada e que querem verdadeiramente nosso bem, mesmo que as vezes para isso digam coisas que não nos agradem.

E o mais importante de tudo, que ao ler essa mensagem, Deus nosso Pai possa tocar seu coração, dar clareza a sua mente e abrir verdadeiramente seus olhos para que você veja o quanto é importante para Deus e que ele precisa de você para se unir as correntes do amor, da bondade, da fé, da compaixão e da caridade. Que seus olhos sejam abertos e libertos de toda influência exercida pelo mal e que você consiga enxergar as coisas como são de verdade.

Fiquem com Deus, amem, perdoem e peçam perdão, sejam gratos, arrependam-se e sejam felizes no amor que Cristo ensinou a todos nós…

Beijos,

Karina (31/03/2013)

As 7 Verdades do Bambu

Depois de uma grande tempestade, o menino que estava passando férias na casa do seu avô, o chamou para a varanda e falou:
 

Vovô corre aqui! Explica-me como essa figueira, árvore frondosa e imensa, que precisava de quatro homens para balançar seu tronco se quebrou, caiu com o vento e com a chuva… este bambu é tão fraco e continua de pé?

 
Filho, o bambu permanece em pé porque teve a humildade de se curvar na hora da tempestade. A figueira quis enfrentar o vento. O bambu nos ensina sete coisas. Se você tiver a grandeza e a humildade dele, vai experimentar o triunfo da paz em seu coração.

 
A primeira verdade que o bambu nos ensina, e a mais importante, é a humildade diante dos problemas, das dificuldades. Eu não me curvo diante do problema e da dificuldade, mas diante daquele, o único, o princípio da paz, aquele que me chama, que é o Senhor.

 
Segunda verdade: o bambu cria raízes profundas. É muito difícil arrancar um bambu, pois o que ele tem para cima ele tem para baixo também. Você precisa aprofundar a cada dia suas raízes em Deus na oração.

 
Terceira verdade: Você já viu um pé de bambu sozinho? Apenas quando é novo, mas antes de crescer ele permite que nasça outros a seu lado (como no cooperativismo). Sabe que vai precisar deles. Eles estão sempre grudados uns nos outros, tanto que de longe parecem com uma árvore. Às vezes tentamos arrancar um bambu lá de dentro, cortamos e não conseguimos. Os animais mais frágeis vivem em bandos, para que desse modo se livrem dos predadores.

 
A quarta verdade que o bambu nos ensina é não criar galhos. Como tem a meta no alto e vive em moita, comunidade, o bambu não se permite criar galhos. Nós perdemos muito tempo na vida tentando proteger nossos galhos, coisas insignificantes que damos um valor inestimável. Para ganhar, é preciso perder tudo aquilo que nos impede de subirmos suavemente.

 
A quinta verdade é que o bambu é cheio de “nós” (e não de eu’s). Como ele é oco, sabe que se crescesse sem nós seria muito fraco. Os nós são os problemas e as dificuldades que superamos. Os nós são as pessoas que nos ajudam, aqueles que estão próximos e acabam sendo força nos momentos difíceis. Não devemos pedir a Deus que nos afaste dos problemas e dos sofrimentos. Eles são nossos melhores professores, se soubermos aprender com eles.

 
A sexta verdade é que o bambu é oco, vazio de si mesmo. Enquanto não nos esvaziarmos de tudo aquilo que nos preenche, que rouba nosso tempo, que tira nossa paz, não seremos felizes. Ser oco significa estar pronto para ser cheio do Espírito Santo.
Por fim, a sétima lição que o bambu nos dá é exatamente o título do livro: ele só cresce para o alto. Ele busca as coisas do Alto. Essa é a sua meta.

bambu

Livro: Buscado as Coisas do Alto

Almas Gêmeas ou Afins?

Estive pensando muito sobre as ligações e laços que trazemos desde o princípio dos tempos e percebi que na verdade, não existem almas gêmeas e sim almas afins.

Pensar em almas gêmeas remete a almas que seriam identicas, iguais… Mas sabemos que não existe ninguem igual a ninguem. Todos somos únicos e possuímos nossa própria identidade. Então pensar em alguém exatamente igual em todos os aspectos se torna utópico e até mesmo absurdo.

Acho que temos sim almas afins. Pessoas que dividiram conosco da mesma centelha de criação e em dado momento se separaram em várias almas para seguirem caminhos e experimentar vivencias diferentes… 

Quando começei esse blog, o primeiro texto que escrevi falava sobre a possibilidade de amar mais de uma pessoa, de ter mais de uma alma gêmea. Hoje entendo que são almas afins e que na verdade a alma gêmea não existe.

Continuo acreditando que temos pessoas especiais em nossos caminhos, pessoas com quem compartilharemos nossas vidas, nosso amor e nossa alma, mas hoje eu simplesmente acredito que as pessoas possam ser especiais em nossas vidas sem que tenham que ser iguais a gente.

As vezes encontramos pessoas que se parecem muito conosco, dividem muitos de nossos ideiais, mas que ainda sim são diferentes de nós. Isso é afinidade e não igualdade.

Então que venham as almas afins e que ao se reencontrarem possam dividir, aprender e ensinar o que os caminhos distintos de cada uma as fez aprender.

sirius

Por RebelHeartBR

O amor nos olhos de um anjo…

Avoada. Era esse o adjetivo pelo qual Lucy era conhecida por todos em seu vilarejo.

Sorriso largo, no alto dos seus 22 anos, era a mais nova entre 4 irmãos, e também a única mulher. De pele bem branca, cabelos claros como o sol, olhos verdes e um tanto quanto desengonçada. Era uma linda mulher, mas o que mais chamava a atenção eram seus olhos… Nunca pensei que conhece-la mudaria minha vida…

 

Tinha sempre um ar melancólico, um olhar distante, mas profundo e adorava se deitar sobre a grama de uma campina que havia perto de sua casa, e assim ficava horas a fio, só observando o movimento dos pássaros, das nuvens e das folhas que o vento levava.

Vivia em um mundo praticamente seu. Não tinha amigos, gostava muito de ler, por isso quase não saia de casa… Devorava os livros que emprestava da biblioteca local. Seus favoritos eram aqueles que contavam histórias sobre os Deuses, os Anjos e os Mistérios entre o Céu e a Terra. Lucy tinha uma ânsia enorme em aprender, especialmente sobre isso…

 

Eu sempre a observava ao longe, afinal fui designada para tanto, e no fundo, eu também gostava muito dessa menina, de seus sonhos, de sua curiosidade… Quando me avisaram que ela seria minha responsabilidade, a princípio fiquei um pouco apreensiva, já que era a primeira vez que estava zelando por alguém, até então meu “trabalho” era mais burocrático. Tive inúmeras horas de estudos, treinamentos, workshops… Tudo para me preparar para isso. Cuidar de Lucy, era minha missão.

Logo de cara pude perceber que essa não seria uma missão complicada, visto que Lucy era uma menina doce, amável, cheia de vida e de sonhos… Não tinha tempo a perder com bobagens e nem passou por aquela fase de rebeldia que a maior parte dos jovens tem uma vez na vida, muito pelo contrário, Lucy era e sempre foi uma pessoa serena, focada e responsável.

 

Só uma coisa me preocupava. Podia sentir que seu coração ficava cada dia mais inquieto… Sempre que ela ia a biblioteca e lia um novo livro sobre os mistérios entre a terra e o céu, mais essa angustia aumentava. Senti que ela estava buscando por respostas, alias, estava desesperada. E nada. Nenhum daqueles inúmeros livros que já havia lido tinham sequer chegado perto de responder seus questionamentos mais profundos. Cada um falava sobre o mesmo tema, mas com abordagem diferente, e Lucy nunca sentiu que as pessoas que haviam escrito aqueles textos sabiam realmente do que falavam…

Deixou a biblioteca de lado, e agora passava cada vez mais tempo deitada na campina, olhando fixamente para as nuvens…

 

Toda aquela angustia que via em seu olhar me deixava muito chateada… Puxa vida, logo na minha primeira missão, a pessoa que me havia sido confiada estava daquele jeito. Eu comecei a pensar em como poderia ajuda-la de maneira mais eficiente, e francamente, ficar de expectadora já estava me deixando inquieta também.

Deixe me dizer de antemão que minhas intenções foram as mais nobres possíveis. Tudo bem que eu tive que desrespeitar uma regra aqui, outra ali, mas regras existem para ser quebradas, não é mesmo?

 

Lá no fundo, eu sabia exatamente o que deixava Lucy daquele jeito. Sabia qual era a pergunta que lhe tirava o sono e pela qual ela buscava com tanto afinco pela resposta…

Enchi-me de coragem, e num belo dia, enquanto ela deitava sobre a grama da campina, decidi me aproximar e me apresentar.

Deitei-me ao seu lado e disse: – “Bom dia Lucy, muito prazer, me chamo Ariel, sou seu anjo da guarda…”

Antes de terminar a sentença, olhei pra Lucy e vi que estava ainda mais branca que de costume (vai ver é por isso que não podemos ficar aparecendo pra todo mundo a toda hora né?) e tratei logo de acalma-la. Disse-lhe que estava ali pois queria ajuda-la a encontrar as respostas que tanto procurava.

Ela começou a me olhar nos olhos e imediatamente começou a chorar… Eu a abracei e ela me contou que muitas vezes havia sonhado com aquele momento, mas que já não acreditava mais… Toda sua busca e toda confusão que encontrou em suas leituras, tiveram efeito inverso do que ela queria. Queria algo para fortalecer sua fé, mas acabou por quase perde-la.

 

Foi então que ela me disse: – “Ariel, como faço para que Deus me ame?”

 

Não esperava por aquela pergunta. Deus a amava com certeza, mas ela não sentia… Por que?

Por um momento, fechei meus olhos, e pude sentir que meu coração batia mais forte. Então percebi exatamente o que deveria fazer.

Pedi que ela fizesse o mesmo e que ouvisse as batidas de seu coração.

Ela ficou ali, sentada junto a mim, e com os olhos fechados ficamos ali ouvindo nossos corações batendo.

Pedi então que ela se esquecesse de tudo aquilo que havia lido até então. Nada daquilo a levaria até Deus, pois Deus estava nela, ela era um pedaço de Deus, assim como todos nós somos.

Ao ouvir seu coração batendo, ela conseguiu ouvir pela primeira vez na vida a resposta que sempre buscou. Sempre esteve em seu coração, mas ela nunca havia parado para ouvi-lo, nem prestava atenção a ele…

 

Seu olhar se encheu de glória! Seus lindos olhos verdes brilhavam mais do que nunca. Estava ali para quem quisesse ver, a magia da criação, a benção da vida… Toda divindade que havia nela havia despertado, estava ali em seu olhar…

 

Disse-lhe que somos todos provas vivas do amor de Deus pai e mãe, da energia que nos criou, pois somos parte dela. Todos nós carregamos um pedaço de Deus em nós.

Muitos passam anos buscando por amor e aceitação, mas não buscam dentro do único lugar onde podem realmente encontra-lo…

 

Senti em Lucy pela primeira vez desde o primeiro dia que a vi que estava realmente feliz. Feliz por ter se encontrado e encontrado todo o amor que desejava em seu coração. Ela se encontrou com Deus, e acreditou pela primeira naquilo que sentia.

 

Despedi-me e voltei para meu antigo posto, mas algo em mim também havia mudado.

 

Essa experiência me ajudou muito, eu também sinto que evolui. Aprendi que não importa o quanto somos diferentes, as coisas em que acreditamos ou a maneira que agimos, no final das contas, o que todos querem é ser amados. Sejam vocês humanos, ou anjos como eu…

 

Pois então, o amor está ai para todos nós, basta procurar no lugar certo…

Por RebelHeartBR

Transparente demais…

Sou do tipo de pessoa que não consegue disfarçar… Seja lá o que for que estou sentindo ou pensando fica evidente em minha maneira de agir, e isso muitas vezes soa da maneira errada, as pessoas as vezes não conseguem compreender, que quando fico quieta, com o semblante sério, até mesmo com a cara “amarrada” é por que eu estou pensando… Analizando uma situação, tentanto entender melhor algo que estou sentindo ou que esteja se passando comigo…


As vezes, melhor, quase sempre, gosto de fazer as pessoas ao meu redor se sentirem bem, queridas, realizadas… Gosto de ouvir e ajudar naquilo que é possível… Mas quando é em relação a mim, eu não sei expressar o que sinto, nem o que desejo… Tenho receio de pedir as coisas pra mim… E as vezes sinto um vazio por conta disso… 


Nos meus momentos mais frágeis, sempre que pensei em recorrer a alguem pra me auxiliar, sentia que alguem precisava mais de mim do que eu precisava de outra pessoa, e acabava deixando pra depois as minhas aflições…


Querendo ou não chegou um ponto onde isso acumulou… Me senti perdida, sem rumo… 


Hoje aprendi a olhar um pouco mais pra mim, mas ainda não sei as vezes pedir aquilo que preciso… Tento ser auto suficiente, o que dá certo na maioria das vezes, mas sei que em algumas ocasições um ombro amigo, uma palavra de consolo, incentivo ou a simples compreensão se fazem necessários…


Tem momentos que vivo que chamo de Spa Day… Que são dias que tiro pra sumir do mapa e cuidar de mim e das pessoas que gosto… Esqueço da vida, do emprego dos problemas, de tudo… Mas as vezes quando tenho que voltar a realidade, fico nostalgica, pensativa… As vezes chego a sentir que não aproveitei o suficiente… Não queria me sentir dessa forma…

Queria que nem que fosse por um minuto, que esses momentos que tiro pra mim soassem como uma eternidade…


Na verdade, queria que eles realmente durassem pra sempre, mas como sei que não é possível, não devo me deixar abater quando eles acabam, pois sei que em breve estarei tendo a chance de viver esses momentos novamente, e a espera deveria ser um “q” a mais para torná-los ainda mais especiais…


O que quis dizer com esse desabafo: Desculpem-me se as vezes sou dificil de entender, se minhas emoções afloram com mais facilidade e se fico as vezes triste e pensativa… Sou só uma pessoa que ainda tem muito a aprender e que não sabe direito pedir aquilo que precisa pras pessoas que me amam… Preciso muito de pessoas que entendam e me ajudem nessa jornada e que possam me ensinar aquilo que ainda não sei e aprender comigo as coisas que posso ensinar…


Enfim, é isso… Eu não sei pedir, mas vou aprender… 😉

melancolia

por RebelHeartBR

Nuvem de tags