Confissões de um coração rebelde…

Posts marcados ‘Casamento’

Feliz Dia dos Namorados

Amor,

Há cerca de 13 anos atrás você me encontrou. Da forma mais improvável possível, nossos destinos se cruzaram naquele dia e esse foi o início de uma história linda que escrevemos juntos desde então e que é certamente uma obra de Deus.

Naquele tempo eu era uma pessoa muito desconfiada, já tinha uma vez amado alguém que acabou machucando muito meu coração e essa experiência havia me endurecido. Eu havia decidido fechar as portas do meu coração e estava certa de que se não amasse mais ninguém, também não iria sofrer.

E você foi aos poucos, com toda doçura do mundo ganhando minha confiança, me dando carinho, atenção, cuidado e amor… E você conseguiu me mostrar que realmente nem todas as pessoas são iguais, e que você era especial e queria caminhar ao meu lado para me mostrar novamente o caminho para a felicidade. 

E eu me permiti… E você ganhou meu coração e meu amor.

E ao longo desses anos vivemos juntos muitos momentos felizes e outros nem tanto, mas sempre pude contar com o seu apoio e o amparo de seu abraço.

Crescemos, aprendemos, rimos, choramos, brincamos, vivemos, evoluímos… Juntos, meu grande companheiro e meu melhor amigo.

Nessa data especial que celebra o amor, decidi então lhe agradecer por tudo. Pelas inúmeras vezes que cuidou de mim, que acordou cedo pra me levar ao trabalho mesmo sem precisar, por todas as vezes que cozinhou algo especialmente para mim, por todas as vezes que massageia meus pés cansados, por me ouvir sempre que preciso desabafar, por ter paciência comigo quando estou estressada, por me animar quando estou triste, por me dar força e fé quando esmoreço e por fazer com que me apaixone por você a cada dia que passa simplesmente por ser tão especial assim. 

Obrigada por tornar meu dia sempre mais bonito. Você é muito especial, nunca duvide disso…

Te amo muito meu amor, feliz Dia dos Namorados…

Ka

Eterno Namorado

Eterno Namorado

Anúncios

O Casamento

Imagem

 

Naquela noite, enquanto minha esposa servia o jantar, eu segurei sua mão e disse: “Tenho algo importante para te dizer”. Ela se sentou e jantou sem dizer uma palavra. Pude ver sofrimento em seus olhos.

De repente, eu também fiquei sem palavras. No entanto, eu tinha que dizer a ela o que estava pensando. Eu queria o divórcio. E abordei o assunto calmamente.

Ela não parecia irritada pelas minhas palavras e simplesmente perguntou em voz baixa: “Por quê?”

Eu evitei respondê-la, o que a deixou muito brava. Ela jogou os talheres longe e gritou “você não é homem!” Naquela noite, nós não conversamos mais. Pude ouví-la chorando. Eu sabia que ela queria um motivo para o fim do nosso casamento. Mas eu não tinha uma resposta satisfatória para esta pergunta. O meu coração não pertencia a ela mais e sim a Jane. Eu simplesmente não a amava mais, sentia pena dela.

Me sentindo muito culpado, rascunhei um acordo de divórcio, deixando para ela a casa, nosso carro e 30% das ações da minha empresa.

Ela tomou o papel da minha mão e o rasgou violentamente. A mulher com quem vivi pelos últimos 10 anos se tornou uma estranha para mim. Eu fiquei com dó deste desperdício de tempo e energia mas eu não voltaria atrás do que disse, pois amava a Jane profundamente. 

Finalmente ela começou a chorar alto na minha frente, o que já era esperado. Eu me senti libertado enquanto ela chorava. A minha obsessão por divórcio nas últimas semanas finalmente se materializava e o fim estava mais perto agora.

No dia seguinte, eu cheguei em casa tarde e a encontrei sentada na mesa escrevendo. Eu não jantei, fui direto para a cama e dormi imediatamente, pois estava cansado depois de ter passado o dia com a Jane.

Quando acordei no meio da noite, ela ainda estava sentada à mesa, escrevendo. Eu a ignorei e voltei a dormir.

Na manhã seguinte, ela me apresentou suas condições: ela não queria nada meu, mas pedia um mês de prazo para conceder o divórcio. Ela pediu que durante os próximos 30 dias a gente tentasse viver juntos de forma mais natural possível. As suas razões eram simples: o nosso filho faria seus exames no próximo mês e precisava de um ambiente propício para prepar-se bem, sem os problemas de ter que lidar com o rompimento de seus pais.

Isso me pareceu razoável, mas ela acrescentou algo mais. Ela me lembrou do momento em que eu a carreguei para dentro da nossa casa no dia em que nos casamos e me pediu que durante os próximos 30 dias eu a carregasse para fora da casa todas as manhãs. Eu então percebi que ela estava completamente louca mas aceitei sua proposta para não tornar meus próximos dias ainda mais intoleráveis.

Eu contei para a Jane sobre o pedido da minha esposa e ela riu muito e achou a idéia totalmente absurda. “Ela pensa que impondo condições assim vai mudar alguma coisa; melhor ela encarar a situação e aceitar o divórcio” ,disse Jane em tom de gozação.

Minha esposa e eu não tínhamos nenhum contato físico havia muito tempo, então quando eu a carreguei para fora da casa no primeiro dia, foi totalmente estranho. Nosso filho nos aplaudiu dizendo “O papai está carregando a mamãe no colo!” Suas palavras me causaram constrangimento. Do quarto para a sala, da sala para a porta de entrada da casa, eu devo ter caminhado uns 10 metros carregando minha esposa no colo.

Ela fechou os olhos e disse baixinho “Não conte para o nosso filho sobre o divórcio” Eu balancei a cabeça mesmo discordando e então a coloquei no chão assim que atravessamos a porta de entrada da casa. Ela foi pegar o ônibus para o trabalho e eu dirigi para o escritório.

No segundo dia, foi mais fácil para nós dois. Ela se apoiou no meu peito, eu senti o cheiro do perfume que ela usava. Eu então percebi que há muito tempo não prestava atenção a essa mulher. Ela certamente tinha envelhecido nestes últimos 10 anos, havia rugas no seu rosto, seu cabelo estava ficando fino e grisalho. O nosso casamento teve muito impacto nela. Por uns segundos, cheguei a pensar no que havia feito para ela estar neste estado.

No quarto dia, quando eu a levantei, senti uma certa intimidade maior com o corpo dela. Esta mulher havia dedicado 10 anos da vida dela a mim.

No quinto dia, a mesma coisa. Eu não disse nada a Jane, mas ficava a cada dia mais fácil carregá-la do nosso quarto à porta da casa. Talvez meus músculos estejam mais firmes com o exercício, pensei.

Certa manhã, ela estava tentando escolher um vestido. Ela experimentou uma série deles mas não conseguia achar um que servisse. Com um suspiro, ela disse “Todos os meus vestidos estão grandes para mim”. Eu então percebi que ela realmente havia emagrecido bastante, daí a facilidade em carregá-la nos últimos dias.

A realidade caiu sobre mim com uma ponta de remorso… ela carrega tanta dor e tristeza em seu coração….. Instintivamente, eu estiquei o braço e toquei seus cabelos.

Nosso filho entrou no quarto neste momento e disse “Pai, está na hora de você carregar a mamãe”. Para ele, ver seu pai carregando sua mão todas as manhãs tornou-se parte da rotina da casa. Minha esposa abraçou nosso filho e o segurou em seus braços por alguns longos segundos. 

Eu tive que sair de perto, temendo mudar de idéia agora que estava tão perto do meu objetivo. Em seguida, eu a carreguei em meus braços, do quarto para a sala, da sala para a porta de entrada da casa. Sua mão repousava em meu pescoço. Eu a segurei firme contra o meu corpo. Lembrei-me do dia do nosso casamento.

Mas o seu corpo tão magro me deixou triste. No último dia, quando eu a segurei em meus braços, por algum motivo não conseguia mover minhas pernas. Nosso filho já tinha ido para a escola e eu me vi pronunciando estas palavras: “Eu não percebi o quanto perdemos a nossa intimidade com o tempo”.

Eu não consegui dirigir para o trabalho…. fui até o meu novo futuro endereço, saí do carro apressadamente, com medo de mudar de idéia…Subi as escadas e bati na porta do quarto. A Jane abriu a porta e eu disse a ela “Desculpe, Jane. Eu não quero mais me divorciar”.

Ela olhou para mim sem acreditar e tocou na minha testa “Você está com febre?” Eu tirei sua mão da minha testa e repeti “Desculpe, Jane. Eu não vou me divorciar. Meu casamento ficou chato porque nós não soubemos valorizar os pequenos detalhes da nossa vida e não por falta de amor. Agora eu percebi que desde o dia em que carreguei minha esposa no dia do nosso casamento para nossa casa, eu devo segurá-la até que a morte nos separe.

A Jane então percebeu que era sério. Me deu um tapa no rosto, bateu a porta na minha cara e pude ouví-la chorando compulsivamente. Eu voltei para o carro e fui trabalhar.

Na loja de flores, no caminho de volta para casa, eu comprei um buquê de rosas para minha esposa. A atendente me perguntou o que eu gostaria de escrever no cartão. Eu sorri e escrevi: “Eu te carregarei em meus braços todas as manhãs até que a morte nos separe”.

Naquela noite, quando cheguei em casa, com um buquê de flores na mão e um grande sorriso no rosto, fui direto para o nosso quarto onde encontrei minha esposa deitada na cama – morta. 
Minha esposa estava com câncer e vinha se tratando a vários meses, mas eu estava muito ocupado com a Jane para perceber que havia algo errado com ela.

Ela sabia que morreria em breve e quis poupar nosso filho dos efeitos de um divórcio – e prolongou a nossa vida juntos proporcionando ao nosso filho a imagem de nós dois juntos toda manhã. Pelo menos aos olhos do meu filho, eu sou um marido carinhoso.

Os pequenos detalhes de nossa vida são o que realmente contam num relacionamento. Não é a mansão, o carro, as propriedades, o dinheiro no banco. Estes bens criam um ambiente propício a felicidade mas não proporcionam mais do que conforto. Portanto, encontre tempo para ser amigo de sua esposa, faça pequenas coisas um para o outro para mantê-los próximos e íntimos. Tenham um casamento real e feliz!

Se você não dividir isso com alguém, nada vai te acontecer.

Mas se escolher enviar para alguém, talvez salve um casamento. 
Muitos fracassados na vida são pessoas que não perceberam que estavam tão perto do sucesso e preferiram desistir..

UM CASAMENTO CENTRADO EM CRISTO É UM CASAMENTO QUE DURA UMA VIDA TODA.

Autoria desconhecida

100 Maneiras de dizer “Eu te Amo”

Para todos os romanticos de plantão que gostam de surpreender seus amores, estou postando uma lista com a frase “Eu te Amo” em 100 linguas diferentes. E viva o Amor!!!

Africano (africaner) – Ek het jou lief

Albanês – Te dua

Árabe – Ana behibak (para homem) Árabe – Ana behibek (para mulher)

Armenia – Yes kez sirumen

Bambara – M’bi fe

Bangla – Aamee tuma ke bhalo aashi

Belarusian – Ya tabe kahayu

Bisaya – Nahigugma ako kanimo

Búlgaro – Obicham te

Camboja – Soro lahn nhee ah

Chinês Cantonese – Ngo oiy ney a

Catalao – T’estimo

Cheyenne – Ne mohotatse

Chichewa – Ndimakukonda

Corsican – Ti tengu caru (para homem)

Creol – Mi aime jou

Croacia – Volim te

Czech – Miluji te

Dinamarquês – Jeg Elsker Dig

Holandês – Ik hou van jo

Inglês – I love you

Esperanto – Mi amas vin

Estonia – Ma armastan sind

Etiópia – Afgreki’

Faroese – Eg elski teg

Farsi – Doset daram

Filipino – Mahal kita

Finnish – Mina rakastan sinua

Francês – Je t’aime, Je t’adore

Gaelic – Ta gra agam ort

Georgian – Mikvarhar

Alemão – Ich liebe dich

Grego – S’agapo

Gujarati – Hoo thunay prem karoo choo

Hiligaynon – Palangga ko ikaw

Havaiano – Aloha wau ia oi

Ebreu – Ani ohev otah (para mulher) Ebreu- Ani ohev et otha (para homem)

Hiligaynon – Guina higugma ko ikaw

India – Hum Tumhe Pyar Karte hae

Hmong – Kuv hlub koj

Hopi – Nu’ umi unangwa’ta

Hungria – Szeretlek

Icelandic – Eg elska tig

Ilonggo – Palangga ko ikaw

Indonesia – Saya cinta padamu

Inuit – Negligevapse

Irish – Taim i’ ngra leat

Italiano – Ti amo

Japonês – Aishiteru ; watashiwa wa anata o aishite imasu; Aishiteru

Kannada – Naanu ninna preetisuttene

Kapampangan – Kaluguran daka

Kiswahili – Nakupenda

Konkani – Tu magel moga cho

Coreano – Sarang Heyo

Latino – Te amo

Latvian – Es tevi miilu

Libanés – Bahibak

Lituano – Tave myliu

Malay – Saya cintakan mu / Aku cinta padamu

Malayalam – Njan Ninne Premikunnu

Chinês Do Mandarin – Wo ai ni

Marathi – Me tula prem karto

Mohawk – Kanbhik

Moroccan – Ana moajaba bik

Nahuatl – Ni mits neki

Navaho – Ayor anosh’ni

Norueguês – Jeg Elsker Deg

Pandacan – Syota na kita!!

Pangasinan – Inaru Taka

Papiamento – Mi ta stimabo

Persa – Doo-set daaram

Pig Latin – Iay ovlay ouyay

Polish – Kocham Ciebie

Português – Eu te amo

Romenia – Te ubesk

Russo – Ya tebya liubliu

Scot Gaelic – Tha gra\dh agam ort

Serbian – Volim te

Setswana – Ke a go rata

Sindhi – Maa tokhe pyar kendo ahyan

Sioux – Techihhila

Slovak – Lu`bim ta

Sloveno – Ljubim te

Espanhol – Te quiero / Te amo

Swahili – Ninapenda wewe

Sueco – Jag alskar dig

Alemão / Suisso- Ich lieb Di

Tagalog – Mahal kita

Taiwanese – Wa ga ei li

Tahitiano – Ua Here Vau Ia Oe

Tamil – Nan unnai kathalikaraen

Telugu – Nenu ninnu premistunnanu

Thai – Chan rak khun (para mulher) Thai – Phom rak khun (para homem)

Turquia – Seni Seviyorum

Ukraniano – Ya tebe kahayu

Urdu – mai aap say pyaar karta hoo

Vietnamita – Anh ye^u em (para mulher) Vietnamita – Em ye^u anh (para homem)

Welsh – ‘Rwy’n dy garu

Yiddish – Ikh hob dikh

Yoruba – Mo ni fe

Viver na Mentira

 

Por que temos que fingir tanto?

Fingir que estamos felizes no trabalho, nos relacionamentos, no amor, na vida…

Aposto que se você questionar algumas pessoas a respeito da razão que as motivou a escolher a profissão que seguem atualmente, quase todas lhe dirão que foi por retorno financeiro, recomendação dos pais, mercado de trabalho, etc… Mas quantas pessoas te dirão que escolheram essa profissão por amor? Quase nenhuma…

Temos um costume inconsciente de querer agradar e fazer parte de um todo. Queremos ser parte do rebanho, inclusos na sociedade e em tudo o que ela determina, nem que pra isso tenhamos que deixar de lado todos os nossos sentimentos e nossas vontades…

Será que vale a pena enganar a si próprio pra satisfazer o ego ou desejo de outras pessoas? Viver uma vida pela metade de maneira frustrada, só pra ser “politicamente correto” ou “igual à maioria”?

Quantos casamentos se arrastam longos anos a fio, sem amor, por conveniência ou só pra dizer que se tem alguém do lado?

Quantas mulheres tem filhos, não por assim desejarem, mas pra agradar o capricho do marido ou atender as exigências da família?

Quantos amores verdadeiros deixamos de viver, com medo do julgamento dos olhos preconceituosos dos outros?

Quantas pessoas você conhece assim? Você é uma delas não é mesmo?

Por que nos maltratamos tanto? Por que nos enganamos dessa maneira?

É hora de começar a ouvir…

A voz mais importante de todas…

Que por tanto tempo você tentou calar…

A sua voz!

 

Por RebelHeartBR

Nuvem de tags