Confissões de um coração rebelde…

Posts marcados ‘Direitos’

Chega de Intolerância! Quero um Novo Mundo!

Só o Amor mudará essa realidade

E esse mundo que você quer deixar de herança para seus filhos?

Um mundo onde mulheres são tratadas como coisas, propriedades e não pessoas. Onde não tem direitos, muito menos em igualdade aos homens, simplesmente pelo fato de serem mulheres. Mulheres sem voz, sem defesa, sem poder e sem direito de opinar. Mundo esse onde uma mulher é condenada a morte por apedrejamento por supostamente ter cometido adultério. Absurdo esse mais uma vez sustentado pela eterna “obediência” religiosa.

Um mundo onde amar alguém do mesmo sexo é chamado de aberração, pecado, blasfêmia… E quem ama alguém do mesmo sexo é visto como criminoso e muitas vezes se vê forçado a viver na margem da sociedade, ou pior, tirar a própria vida. Mundo cego, surdo e mudo que finge não ver e não se importar com todas essas atrocidades.

Um mundo que não sabe respeitar que cada um possa ter sua própria visão de Deus e tenta impor a força aquilo que considera sua verdade. Um mundo onde não se pratica um dos maiores ensinamentos de cristo que é o amor, mas ao contrário, se mata usando seu nome e usa-se como desculpa os textos da bíblia, interpretados com ódio, preconceito e intolerância.

Um mundo onde se paga pelas suas origens. Onde a cor da pele vale mais do que o caráter e os sentimentos. Um mundo tolo onde algumas raças sentem-se no direito de subjulgar, humilhar, explorar e exterminar outras.

Um mundo onde vale tudo a qualquer preço, desde que se lucre com isso. Exporam o ser humano, mentem, enganam, matam sonhos. Destroem o próprio meio ambiente, soberbos e crentes de que estão acima do bem e do mal.

Um mundo de mentiras, desigualdade, preconceitos, exploração e ilusão.

Um mundo que não valoriza o “quem se é” mas sim “o que se possuí”.

Mundo esse que simplesmente não vê, que somos sim todos iguais. Não importa o exterior, a pele, a religião, o sexo ou sexualidade. Por dentro todos somos exatamente iguais, temos um coração que bate da mesma forma, temos sonhos e esperanças. Somos todos Seres Humanos e era somente isso que deveria contar.

Não temos o direito de julgar, discriminar, maltratar ou condenar ninguém. Nosso único direito, nato e absoluto é amar e respeitar.

O mundo precisa de uma corrente de amor, precisa de tolerância, respeito, luz e paz. Precisamos unificar nossas forças enquanto ainda é tempo e enquanto a esperança ainda tilinta, mesmo que quase apagada. Enquanto ainda temos tempo para fazer do mundo da intolerância e da dor, o mundo da igualdade e do amor para nossos filhos.

Ame, respeite, seja e deixe ser.

Por RebelHeartBR 

Amor, respeito e felicidade

Uma história que poderia ser a sua…

Certa vez conheci um rapaz muito bacana. Filho mais velho de sua família, cresceu em um lar onde a religião era a pedra fundamental, o alicerce de todas as crenças e doutrinas…

Foi educado nessa religião, mas bem lá no fundo não se sentia bem e muito menos era feliz, pois seu coração lhe mostrava que era diferente daquilo que a sua religião pregava como “certo” e “moral” e ele sofria muito por isso…

Sempre ouviu que sua “missão” era formar uma família… Crescer, trabalhar junto a igreja, encontrar uma boa moça da sua religião, casar-se e ter tantos filhos quantos fossem “mandados” pelo Senhor. Cresceu ouvindo que tudo o que fosse diferente daquilo, tudo que fosse contra a ideologia de sua religião era errado, imoral e obra do “maligno”.

Não existia amor nem piedade…

Não existia respeito nem aceitação…

Só existiam mandamentos, que se não fossem seguidos a risca, não lhe dariam seu lugar de direito no Paraíso quando ele morresse…

Com toda essa intolerância por parte de sua igreja e também de sua familia que seguia a risca o “passo a passo” de sua religião, ele se via perdido, sentindo-se um pecador sujo pois não se encaixava naquela doutrina…

Aquilo que estava em seu coração lhe trazia felicidade de verdade, mesmo se sentindo culpado por ter aqueles sentimentos, aquilo lhe fazia feliz, seus olhos brilhavam, sentia seu coração disparado pois havia encontrado o amor.  Ele havia se apaixonado por outro rapaz…

Quando sua família ficou sabendo, o tratou como degenarado, como se o que tivesse sentindo fosse uma doença e que precisava se voltar mais ainda pra sua religião para que pudesse ser “curado”… Ele foi julgado e condenado por ser diferente.

Hoje ele é um membro ativo de sua igreja e está casado com uma moça que conheceu lá… Hoje sua família olha pra ele com orgulho do que ele se tornou…

Mas é impossível não notar, quando se olha em seus olhos de que a felicidade não está lá. Por traz do sorriso e da alegria aparente, vive alguem que morreu por dentro para poder seguir sua doutrina e viver as expectativas de sua familia para sua vida…

Agora eu pergunto…

Valeu a pena abrir mão de um amor de verdade e de sua própria felicidade para seguir uma doutrina de alguem que simplesmente é incapaz de amar e respeitar aqueles que são diferentes em suas escolhas?

Quando amamos alguem de verdade, queremos que essa pessoa seja feliz e sabemos respeitar suas escolhas…

Na verdade ele nunca foi amado, nem por sua família nem por sua igreja… Eles amam sua imagem, o que ele se tornou, mas são incapazes de mostrar amor por quem ele realmente é, não respeitaram seus verdadeiros sentimentos, não respeitaram que ele era de verdade…

Pra minha vida não quero amor falso e respeito mentiroso… Não me contentaria jamais em ser alguem que não sou só pra agradar os outros, pois aqueles que me amam não precisam ser alimentados com mentiras, eles não tecem expectativas sobre minha vida e minhas escolhas, eles simplesmentem me amam e respeitam pelo que sou…

Então amigos, se alguem ou alguma ideologia ou doutrina não te amam e te respeitam o suficiente para te aceitar como você é, eles não merecem que você mude por eles…

Sejam felizes, sejam vocês, se amem e se respeitem sempre…

Façam sua vida valer a pena, vivam com plenitude.

Por RebelHeartBR

10 Orientações para Doadores de Sangue

Orientações para doadores de sangue  
Há critérios que permitem ou que impedem uma doação de sangue, que são determinados por normas técnicas do Ministério da Saúde, e visam à proteção ao doador e a segurança de quem vai receber o sangue.

O doador deve…
– trazer documento oficial de identidade com foto (identidade, carteira de trabalho, certificado de reservista, carteira do conselho profissional ou carteira nacional de habilitação);
– estar bem de saúde;
– ter entre 18 e 65 anos;
– pesar mais de 50Kg;
– não estar em jejum; evitar apenas alimentos gordurosos nas 4 horas que antecedem a doação.

Impedimentos temporários 
– Febre
– Gripe ou resfriado
– Gravidez
– Puerpério: parto normal, 90 dias; cesariana, 180 dias
– Uso de alguns medicamentos
– Pessoas que adotaram comportamento de risco para doenças sexualmente transmissíveis

 

Cirurgias e prazos de impedimentos  
– Extração dentária: 72 horas
– Apendicite, hérnia, amigdalectomia, varizes: 3 meses
– Colecistectomia, histerectomia, nefrectomia, redução de fraturas, politraumatismos sem seqüelas graves, tireoidectomia, colectomia: 6 meses
– Ingestão de bebida alcoólica no dia da doação
– Transfusão de sangue: 1 ano
– Tatuagem: 1 ano
– Vacinação: o tempo de impedimento varia de acordo com o tipo de vacina

 

Impedimentos definitivos
– Hepatite após os 10 anos de idade
– Evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças transmissíveis pelo sangue: hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas
– Uso de drogas ilícitas injetáveis
– Malária

Intervalos para doação 
– Homens: 60 dias (até 4 doações por ano)
– Mulheres: 90 dias (até 3 doações por ano)

Doe sangue com responsabilidade 
Você sabe o que é
 janela imunológica? É o período entre a contaminação da pessoa por um determinado agente infeccioso (HIV, hepatite…) e a sua detecção nos exames laboratoriais.

No período da janela imunológica, os exames são negativos, mas mesmo assim o sangue doado é capaz de transmitir o agente infeccioso aos pacientes que o receberem.

A sinceridade ao responder as perguntas do questionário que antecede a doação é importante para evitar a transmissão de doenças aos pacientes.

 

Nunca doe sangue se você quiser apenas fazer um exame para AIDS. Neste caso, procure um Centro de Testagem Anônima e gratuita.

Informe-se pelo Disque-Saúde: 0800-61-1997 ou pelos Centros de Testagem Anônima.

Cuidados pós-doação
– Evitar esforços físicos exagerados por pelo menos 12 horas 
– Aumentar a ingestão de líquidos 
– Não fumar por cerca de 2 horas
– Evitar bebidas alcóolicas por 12 horas 
– Manter o curativo no local da punção por pelo menos de 4 horas
– Não dirigir veículos de grande porte, trabalhar em andaimes, praticar paraquedismo ou mergulho

Onde está o Respeito?

Estava lendo uma reportagem na Revista Época sobre um casal homossexual de São Paulo que terá em breve gêmeos que serão registrados no nome das duas mães…


Achei a resportagem muito interessante, mostrou um lado diferente do que estamos acostumados a lidar quando se trata de amor e família… Fiquei feliz com o progresso que houve em relação a preservação do direito das duas namoradas como mães, por que à algum tempo atras, tal coisa seria praticamente impossível…


Mas enfim, o que me chamou a atenção, de forma totalmente negativa, foram os benditos “comentários” que os leitores da Época Online podem deixar nas reportagens da revista virtual.

É incrível ver que em pleno século 21, em plena era de modernidade e independência, ainda existam tantas pessoas que não aprenderam a respeitar o direito de ser e de escolher das outras pessoas…


É um bando de gente citando Bíblia, Deus, Igreja, Pecado, Inferno, Punição…

Puro ódio, preconceito e ignorância…

As pessoas falam com tanta propriedade da vida umas das outras que chega a dar medo…

As “pérolas” variam desde “Isso não é natural, Deus criou o Homem e a Mulher…” até “Isso é falta de macho…” e por ai vai…


Ai que eu digo: Por que vocês não cuidam das suas vidas? Por que voltar sua energia para hostilizar outras pessoas?


Cada um tem o igual direito de ser, fazer, sentir, escolher o que quiser pra sua própria vida, nascemos livres, essa é uma dádiva divina, podemos fazer escolhas, mas para nossa vida, não a dos demais…


Vocês que sempre criticam, torcem o nariz, apontam, hostilizam, fazem piadinha com a vida alheia, você se sentiria como se estivesse no papel de caluniado ao invéz de ser o caluniador? Será que você se sentiria feliz ao ver tanta gente desconhecida, que nem sabe nada sobre você, falasse que sua vida é toda errada, que você é escória, que Deus irá te punir, que você não presta e blá blá blá? Acredito que não, mas muitas vezes nos esquecemos de antes de agir, pensar no que sentiriamos se nos fizessem a mesma coisa…


Então caros, respeitem o direito nato de cada um a liberdade e as suas escolhas… Você não é obrigado a concordar, mas cuide de sua vida e não critique pessoas que você nem conhece pelas escolhas que elas fizeram. Cada um na sua.

01921009300

Outra coisa, se foi o próprio Deus pai/mãe que nos criou, e por nos amar incondicionalmente nos deu a liberdade para fazermos nossa vida e escolhas de acordo com o que manda nosso coração, por que esse mesmo Deus cobraria depois por esse presente?


Deus não julga, não se vinga, não condena… Ele ama. Ele faz aquilo que deveriamos fazer todos os dias em relação aos outros e a nós mesmos: Ele ama a todos como somos, se orgulha de nossas escolhas e da pessoa que cada um é…


A bíblia é um livro escrito por homens. É um bom livro de história, mas não é uma cartilha que deve ser seguida ao pé da letra…


Tenham a personalidade de saber sentir em seus corações o amor incondicional que Deus tem por vocês, e assim como ele, passem a amar as pessoas como são, sem exigir nada em troca.


Sejam o amor de Deus…


Muita paz, amor e respeito. É disso que o mundo precisa, é disso que nossos corações precisam.


Por RebelHeartBR

8 de Março – Dia Internacional da Mulher

História do 8 de março

No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.

A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.

Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o “Dia Internacional da Mulher”, em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU(Organização das Nações Unidas).

Objetivo da Data

Ao ser criada esta data, não se pretendia apenas comemorar. Na maioria dos países, realizam-se conferências, debates e reuniões cujo objetivo é discutir o papel da mulher na sociedade atual. O esforço é para tentar diminuir e, quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher. Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional. Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história.

Conquistas das Mulheres Brasileiras

Podemos dizer que o dia 24 de fevereiro de 1932 foi um marco na história da mulher brasileira. Nesta data foi instituído o voto feminino. As mulheres conquistavam, depois de muitos anos de reivindicações e discussões, o direito de votar e serem eleitas para cargos no executivo e legislativo.

Marcos das Conquistas das Mulheres na História

  • 1788 – o político e filósofo francês Condorcet reivindica direitos de participação política, emprego e educação para as mulheres.

  • 1840 – Lucrécia Mott luta pela igualdade de direitos para mulheres e negros dos Estados Unidos.

  • 1859 – surge na Rússia, na cidade de São Petersburgo, um movimento de luta pelos direitos das mulheres.

  • 1862 – durante as eleições municipais, as mulheres podem votar pela primeira vez na Suécia.

  • 1865 – na Alemanha, Louise Otto, cria a Associação Geral das Mulheres Alemãs.

  • 1866 – No Reino Unido, o economista John S. Mill escreve exigindo o direito de voto para as mulheres inglesas

  • 1869 – é criada nos Estados Unidos a Associação Nacional para o Sufrágio das Mulheres

  • 1870 – Na França, as mulheres passam a ter acesso aos cursos de Medicina.

  • 1874 – criada no Japão a primeira escola normal para moças

  • 1878 – criada na Rússia uma Universidade Feminina

  • 1901 – o deputado francês René Viviani defende o direito de voto das mulheres

    Texto emprestado do site SuaPesquisa

  • Nuvem de tags