Confissões de um coração rebelde…

Posts marcados ‘Sociedade’

A vida não tem manual de instruções…

Vá em qualquer livraria que tiver em sua cidade, olhe a seção de livros mais vendidos, e o que você verá? Pelo menos a metade deles é de auto-ajuda, fala sobre como se relacionar com o sexo oposto ou ensina receitas milagrosas e mirabolantes para ter sucesso pessoal e financeiro… Ou seja, manuais de instrução para a vida…

Na boa, parece que sempre, em todo canto, lugar ou esquina tem alguem que pensa saber o que é melhor pra vida de todos… Uma série de instruções e coordenadas de como ser e como agir diante do mundo, das pessoas e da vida e garantem que sabem o que é melhor pra você, pois são experientes e vividos…

Graças a Deus(a) uma grande parte das pessoas consegue viver a própria vida sem ter que ficar se sustentando em cima de ensinamentos de outras, pois conseguiram compreender que a vida como dadíva individual de cada um deve ser vivida de acordo com o que a própria pessoa sente e pensa ser o certo e o melhor pra sí.

Podemos até opinar e aconselhar, mas nunca impor nosso jeito, nossa maneira e nossa verdade pra cima de ninguém, pois cada um é cada um… Até mesmo por que os ditos manuais que encontramos por ai tendem a colocar todas as pessoas num mesmo patamar de atitude e pensamento como se por exemplo todos os homens ou todas as mulheres fossem exatamente iguais em tudo e que conhecendo um se conhece todo o resto, e convenhamos, basta viver um dia ao menos no mundo real pra compreender que não é bem por ai que a banda toca…

Um exemplo prático: Minha querida pegou emprestado de uma amiga dela um livro que chama: “Por que os homens amam as mulheres poderosas”, onde a autora afirma por A+B que TODO homem gosta de ser tratado com indiferença, gostam de mulheres que não ligam, se fazem de difíceis, mas que ao mesmo tempo não sejam tão independentes assim a ponto de fazer com que eles sintam sua masculinidade diminuida…

Nesse livro a autora aborda alguns pontos que ela pesquisou com alguns homens, que declararam suas preferências em relação ao sexo oposto, e conta alguns casos práticos que esses homens contaram… Entre outras coisas ela chega a citar que os homens gostam de acreditar que estão no controle, mesmo quando não estão, e que a mulher deve agir de forma a deixar que ele acredite que tem esse controle…

O tema é abordado de maneira tão confusa, que no mesmo livro onde ela diz que a mulher deve agir pra fazer o homem acreditar que ele manda, ela também diz que as mulheres devem ser elas mesmas… Estranho, pra dizer o mínimo…

Tá, mas voltando a questão: Desde quando uma pesquisa feita com alguns homens de uma mesma região e cultura específica pode traçar o perfil comportamental de uma população inteira? Simples, não pode, pois por mais que as pessoas se pareçam, uma é indefinidamente diferente da outra, mesmo que dividam o mesmo sexo, criação e religião…

Então, por respeito a QUEM você É, e as coisas que VOCÊ acredita, tente encontrar a resposta pras suas dúvidas, a receita da vida perfeita e a realização de seus desejos dentro de você… Ouvir conselhos, pedir opiniões é ótimo, mas nunca permita que alguem dite como você deve viver, ser e se comportar. Não existe uma receita, são simplesmente pontos de vista…

E vale lembrar que a ÚNICA VERDADE ABSOLUTA é aquela em que VOCÊ escolheu ACREDITAR!

Seja único, seja autêntico, seja simplesmente você…

Por RebelHeartBR

Anúncios

CAMPANHA: Chega de Rótulos!

Branco, Preto, Gay, Hetero, Bi, Traveco, Viado, Bicha, Sapata, Gordo, Magro…

Rótulos, rótulos e mais rótulos que são usados indiscriminadamente pelas pessoas para definir outras pessoas de maneira totalmente superficial… Cansei dos rótulos…

Sabe o que eu sou? Uma pessoa, assim como você e todas as outras…

O que me define? Meu caráter, meus sentimentos e minhas idéias… Isso é o que sou…

Do que importa saber se a pessoa é branca, negra, alta, baixa, gorda, magra, hetero ou homo? Esses rótulos não mudam o que a pessoa é de fato, por dentro, em seu coração e em sua mente…

Então, vamos começar a enxergar nas pessoas e na humanidade o que realmente importa? Quem elas são e não os rótulos que são usados para definí-las…

Vamos parar de apontar, ridicularizar, fazer piadas de mal gosto e simplesmente viver e deixar viver. Ser para as pessoas aquilo que gostaríamos que fossem pra nós…

Olhar alem dos “rótulos”, e enxergar o verdadeiro “Eu” de cada um e todas as belezas e valores reais de cada um.

Dá próxima vez que olhar para alguem, olhe essa pessoa nos olhos, enxergue sua alma e você verá que são exatamente iguais, mesmo que exteriormente sejam diferentes…

Da próxima vez que encontrar alguem que tenha feito escolhas diferentes das suas na vida, procure compreender que assim como você, essa pessoa também tem direito de escolher e ser respeitada por isso…

Passe a olhar o mundo e as pessoas não com os olhos físicos, mas com os olhos do amor…

Deus Pai/Mãe é nosso maior exemplo… Fomos todos criados a partir do amor, livres para escolher nossos caminhos, livres para ser quem somos e mesmo assim, sendo diferentes somos amados e respeitados, pois Deus Pai/Mãe consegue ver além dos rótulos que nós mesmos criamos, e enxerga o que realmente somos…

Vivam o amor que Deus Pai/Mãe nos mostrou e olhem com os olhos do amor…

E não importa a cor, raça, sexo ou sexualidade… No final das contas, somos todos luz e energia, crescendo e evoluindo para um dia estarmos todos juntos novamente junto a grande energia de amor que nos criou…

Não julguem, não rotulem… Simplesmente AMEM!

gaia2

Por RebelHeartBR

Viver na Mentira

 

Por que temos que fingir tanto?

Fingir que estamos felizes no trabalho, nos relacionamentos, no amor, na vida…

Aposto que se você questionar algumas pessoas a respeito da razão que as motivou a escolher a profissão que seguem atualmente, quase todas lhe dirão que foi por retorno financeiro, recomendação dos pais, mercado de trabalho, etc… Mas quantas pessoas te dirão que escolheram essa profissão por amor? Quase nenhuma…

Temos um costume inconsciente de querer agradar e fazer parte de um todo. Queremos ser parte do rebanho, inclusos na sociedade e em tudo o que ela determina, nem que pra isso tenhamos que deixar de lado todos os nossos sentimentos e nossas vontades…

Será que vale a pena enganar a si próprio pra satisfazer o ego ou desejo de outras pessoas? Viver uma vida pela metade de maneira frustrada, só pra ser “politicamente correto” ou “igual à maioria”?

Quantos casamentos se arrastam longos anos a fio, sem amor, por conveniência ou só pra dizer que se tem alguém do lado?

Quantas mulheres tem filhos, não por assim desejarem, mas pra agradar o capricho do marido ou atender as exigências da família?

Quantos amores verdadeiros deixamos de viver, com medo do julgamento dos olhos preconceituosos dos outros?

Quantas pessoas você conhece assim? Você é uma delas não é mesmo?

Por que nos maltratamos tanto? Por que nos enganamos dessa maneira?

É hora de começar a ouvir…

A voz mais importante de todas…

Que por tanto tempo você tentou calar…

A sua voz!

 

Por RebelHeartBR

Nuvem de tags